Como prevenir a defesa de alimento nos cachorros

Guardar as posses de humanos ou de outros espécimes é um comportamento frequente para cachorros. Os bichos selvagens que preservam com sucesso seus recursos valiosos – como alimentos, companheiros e áreas onde moram – são mais suscetíveis a subsistir na natureza do que aqueles que não atuam desta forma. No entanto, reconhecemos, em nossos pets, uma tendência não desejável, especialmente quando o comportamento é dirigido aos seres humanos, de proteger os artigos valorizados por eles, como alimentações, por exemplo.
A defesa de coisas e recursos preciosos percebida em cachorros é capaz de alternar de um temperamento levemente benéfico, como escapar com um objeto desejado ou grunhir para alguém que se aproxima, até uma agressividade total, como morder ou correr atrás de alguém. Determinados cachorros só dirigem a defesa dos recursos para determinadas pessoas, na maior parte das vezes, estranhas. Outros cachorros guardam seus “bens valiosos” de todas as pessoas. Os cachorros alteram no que consideram valioso. Certos cachorros defendem unicamente os ossos ou os brinquedos. Outros, defendem objetos roubados, como pacotes de comida retiradas da lixeira ou pares de meias. Todavia, diversos cães protegem a própria comida.

Guardar alimento é desvio de comportamento?

caes-guardam-coisas
Em inúmeros casos, a defesa de alimentos não tem necessidade de ser tratada. Diversos pais de estimação de cães adultos que guardam os alimentos unicamente tomam medidas racionais a fim de assegurar a defesa de todo mundo. Eles deixam seus cachorros sozinhos enquanto estão se alimentando, ou podem até alimentar seus cachorros em uma área isolada. Eles fornecem a seus cães quantias adequadas de alimentos para que seus cães sintam-se menos motivados a se protegerem. E os donos de cães com esse padrão nunca tentam tirar os alimentos de seus cães.

Fique atento aos sintomas

Por outro lado, se crianças vivem em uma residência com um cachorro que protege alimentos e outros itens, a circunstância torna-se arriscada. As crianças são mais inclinadas a serem abocanhadas porque são incapazes de reconhecer os sinais de alerta que um cachorro mais inclinado a se comportar de forma violenta pode oferecer. Em alguns casos, a ameaça de viver com um cão que protege comida chega a ser alto até mesmo para adultos. Como por exemplo, determinados cachorros escondem alimentos que caem de mesas e balcões, sobras de comida dos pratos que estão no lava-louças e ainda determinados alimentos que, porventura, caíram no chão. Por conseguinte, fica improvável, durantes essas situações, prevenir a atitude de guarda.

Como prevenir esse comportamento.

caes-guardam-coisas
Filhotes jovens são mais suscetíveis a terem esse tipo de temperamento porque, certas vezes, eles necessitam de competir com seus companheiros de ninhada por quantias limitadas de comida. Produtores, frequentemente, alimentam cães em uma vasta panela comunitária e o filhotinho que é capaz de comer mais, crescerá mais depressa e vai se tornar o mais vigoroso. Caso um tratador não seja observador, essa situação é capaz de acabar com um ou dois filhotinhos abarcando a maior parte da ração.
Se acabou de obter ou acolher um cão jovem ou adulto que não defende as coisas, é necessário fazer certos exercícios simples com a finalidade de evitar que ele desenvolva comportamentos de guarda. Assim que você levar o seu novo cachorro para sua moradia, assegure-se de dar a ele várias refeições. Se sente com o seu cão e dê a ele ração, um pouco de cada vez. Durante as refeições, alimente o cão com sua mão, fale agradavelmente com o cachorro e caricie o pet enquanto oferece a comida com a outra mão.
Caso ele demonstre qualquer desconforto ou cautela, pare de alimentar seu cãozinho. Entretanto, se o seu cachorro parece estar sereno e confortável com a alimentação por sua mão, passe a pegar a vasilha de comida em seu colo e deixe que ele coma da tigela. Continue a comunicar com ele e afague sua cabeça e seu corpo quando ele come. A partir de determinadas refeições, bote a vasilha do seu cão no chão e, à medida que ele come, aguarde cair um tanto no chão, pegue e coloque de novo na tigela. Se você fizer isso de maneira intermitente durante os primeiros meses, depois que levar o seu cão para sua casa, o espécime, possivelmente, permanecerá sossegado e não irá se sentir ameaçado devido a sua presença enquanto come.